top of page
  • Foto do escritorSecretaria da ANPUH

KARLA BARBOSA | COMO VOTA A COMUNIDADE HISTORIADORA?

Atualizado: 19 de out. de 2022

DEMOCRACIA SEMPRE


Em 15 de novembro de 1889, ocorreu o golpe militar que acarretaria na República. 75 anos após o que não era desejado aconteceu, outro golpe trouxe os 21 anos mais tenebrosos da história do Brasil.


Como não refletir e fazer a relação presente - passado sobre a Marcha da Família com Deus pela Liberdade como resposta às reformas feitas por Jango, com toda a onda conservadora criada sobretudo com o início do movimento Antipetista que foi um dos pilares para o golpe de 2016, onde excelentíssima, ex Presidente Dilma Rousseff foi deposta de seu cargo. Daí por diante um movimento de extrema direita começou a ganhar força.


Um ex militar, com o discurso inflamado sobre “Deus, Pátria e família.” Um ex-militar que passou 27 anos no Congresso Nacional, e, nunca aprovou projetos viáveis em prol da população, sempre deixou claro seus posicionamentos retrógrados, sua falta de compostura para com todos e todas que ousam lhe contrariar. Um ex militar chamado Messias e que prega a palavra de Deus, mas sempre fez questão de frisar sua veneração sobre os Anos de Chumbo, em certa vez, em uma entrevista disse ‘’O erro da ditadura foi torturar e não matar.’’


Na medida em que o tempo foi passando o Bolsonarismo ganhou mais adeptos, e em 2018, no segundo turno ele foi eleito Presidente do Brasil. Estamos em Outubro de 2022, e mesmo depois de tantos anos de atrocidades ditas e feitas, de corrupções e rachadinhas, de inércia no COVID 19, 687 mil pessoas morreram pela doença que causou a Pandemia, e o governo negacionista sempre foi contra todas as medidas de proteção indicadas pela ONU - Organização das Nações Unidas, negligenciou a compra das vacinas, e mesmo assim obteve 50 milhões de votos.


Para um Presidente que foi eleito usando o slogan de campanha ‘’Brasil acima de tudo, e Deus acima de todos.’’ Tal qual como Adolf Hitler costumava usar.


Podemos chegar à infeliz conclusão que o conservadorismo e todos aqueles valores que nos parecem absurdos venceram, de certa forma, estamos há 13 dias do segundo turno e agora nós Historiadores temos o dever de nos unir e defender aquilo que nos é de direito. Se no passado foi pedido Democracia já, agora está em nossas mãos o poder de proteger nossa carta, dia 30 é 13.


Sou a Karla Barbosa, natural de Natal, no Rio Grande do Norte. Tenho 25 anos e sou graduada em História pela Universidade Potiguar.




53 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page